segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

"My life in 5 months" by Adina F. Cirmaci


[EN] Hi once again :)
This time was Adina, a romanian student, that left us her words to express what she's feeling at this moment. She arrived five months ago, to study communication in UBI. 



"ERASMUS it is not about 5 months from your life, it is about your life in 5 months."

"It is time to say goodbye? No, it can’t be true. I want to dream more. To dream, yes, because my ERASMUS in Covilhã it was like a dream.

I remember when I arrived in Covilhã and I started to talk with Pedrito and David at the train station (not talking because I couldn’t say a word because of the feelings) and in my mind was like this “why I couldn’t stay home? What I am doing here?” 
But now I have answers to my questions. I was here to make friends, to improve my languages, to create memories. In the beginning I couldn't understand a word. I thought that Portuguese language it is like “șșș”, and now I am talking this ”șșș” language.

Amazing times, with people all over the world. Trying to speak with Brazilians an amazing portunhol, learning Spanish and understand Turkish.
”Tonight is a party.” And like this all the things started. ”Party in room number…” ”Let’s go out for a beer.” – ONE AFTER ONE, because here it is impossible to drink just one.

I’m in love with Covilhã. I will remember all my life the parties in Birras and Barot. Latada, our pub crawl, room crawl (if you can imagine a room crawl in the residence…) the trips, my Christmas here with my family (ERASMUS family), and for sure all the people that I met here.
My question “what I am doing here” has an answer but I can’t say in words. It is about feelings. I will go home with tears in my eyes and in my soul too. Now I am so rich that you can’t imagine: with friends all over the world (and I am sure that I made friends for a life not just for some months) and with so many memories. Because… Because ERASMUS it is not about 5 months from your life, it is about your life in your 5 months.

Ate já Covilhã. I will come back for sure. You made me smile, you made me be drunk, be happy and now you make me cry…"
Adina F. Cirmaci

[PT] Olá mais uma vez :)
Desta vez foi Adina, uma aluna romena, que nos deixou as suas palavras para expressar o que ela está a sentir neste momento. Ela chegou à cinco meses atrás para estudar Comunicação na UBI.

"ERASMUS não é sobre 5 meses da tua vida, é sobre a tua vida em 5 meses."

"Já é tempo de dizer adeus? Não, não pode ser verdade. Eu quero sonhar um pouco mais. Sonhar, sim, porque o meu ERASMUS na Covilhã foi como um sonho. 

Eu lembro-me quando cheguei à Covilhã e comecei a falar com o Pedrito e o David na estação de comboios (não exatamente conversas, porque eu não conseguia dizer nada devido aos meus sentimentos) e na minha mente eu pensava algo do género "Porque é que eu não fiquei em casa?" "O que é que eu estou aqui a fazer?". 
Mas agora tenho as respostas às minhas perguntas. Estou aqui para fazer amigos, melhorar a minha linguagem, para criar memórias.No início não percebia uma palavra. Eu pensava que a língua portuguesa era "sss" e agora estou a falar esta língua dos "sss". 

Tempos espetaculares, com pessoas de todo o mundo. Tentar falar com Brasileiros numa espécie de portunhol, aprender espanhol e entender turco. "Hoje à festa à noite." E assim tudo começou. "Festa no quarto nº..." "Vamos beber uma cerveja?" - UMA APÓS A OUTRA, porque era impossível beber só uma. 

Estou apaixonada pela Covilhã, e vou lembrar-me durante o resto da minha vida, de todas as festas no Birras e no Barot. A Latada, o rally-tascas, o rally dos quartos (como se imaginassem um rally tascas na residência...), as viagens, o Natal aqui com a minha família (a família ERASMUS), e claro todas as pessoas que eu conheci aqui.

A minha questão "O que faço eu aqui?" tem uma resposta, mas não a consigo expressar por palavras. É acerca de sentimentos. Eu irei para casa com lágrimas nos meus olhos e também na minha alma. Estou tão rica agora, que vocês não conseguem imaginar: com amigos de todo o mundo (e tenho a certeza que fiz amigos para a vida e não apenas para alguns meses), e com tantas memórias. Porque... porque ERASMUS não é sobre cinco meses da tua vida, mas sim a tua vida em cinco meses.

Até já Covilhã, eu voltarei de certeza. Tu fizeste-me sorrir, embebedaste-me, fizeste-me feliz e agora fazes-me chorar..."
Adina F Cirmaci


terça-feira, 20 de janeiro de 2015

"Até já Covilhã" by Luísa Torquato

[PT] Luísa Torquato, uma aluna brasileira, deixou o seu testemunho na hora de despedida daqueles que partilharam com ela estes últimos seis meses. Deixamos aqui as suas palavras...

"Até já Covilhã!

É bem verdade que é mais difícil deixar o que colhemos aqui do que o que plantamos do lado de lá. Já me disseram isso. Eu sei, nunca quis acreditar.
Há uns dias, escrevi: Passo pelo corredor, dessa vez resolvo inovar, vou de olhos fechados até ao quarto. Me surpreendo, pois sei exatamente onde parar, tenho idéia de quantos passos preciso dar para chegar até ao quarto.
Me lembro da primeira vez que estive aqui. Estávamos eufóricos, felizes e apavorados, sem saber onde isso ia dar. Vivendo de surrealidade até nossos pés tocarem o chão.
Sabe, lembro inclusive de algumas primeiras vezes que vi vocês, do nosso primeiro rebu, primeira vez no Baro, das noites insanas no Chemistry. Da primeira festa de medicina na piscina, das tardes e noites lá! Do dia em que fomos apresentados à ESN. Dos barulhos nas madrugadas. Primeira vez em Lisboa, Holy Festival. Primeiro arroz queimado. Das várias vezes em que alguns de vocês acordavam com meu quarto caindo enquanto eu nem percebia. Dos nossos: "Me empresta?", "Me vende? ", "troco vinho por chocolate!", "quem tem crédito pra lavar roupa? ", "alguém vai ao continente ainda?", "quem está no pólo I e vai subir?". Do nosso primeiro jantar a luz de celulares.
De dançar kizomba e kuduro, acordar com bailando e dormir com jajão. Dos pratos sempre inesperados da cantina.
Mas hoje, xelentes, só sei que somos tudo isso, e enquanto não podemos voltar, ficamos com o gostinho das lembranças.
Porque ser Erasmus é isso, ser um bocadinho de cada um, os lugares aos quais fomos e muito de onde vivemos.

E este não é um adeus, é um até já Covilhã.
Luísa Torquato"



[EN] Luísa Torquato, a brazilian student, left her testimony in time to farewell those who shared with her the past six months. We leave here her words...

"See you soon Covilhã
It is true that it is harder to leave what we harvest here than what we plant over there . I've been told that. A few days ago, I wrote: Step down the hall, this time I decide to innovate, I close eyes while I'm going to my room. It surprises me, because I know exactly where to stop, I have an idea how many steps I need to take to get to the room.
I remember the first time I was here. We were euphoric, happy and terrified, not knowing where it was going. Living on the surreality until our feet hit the ground.
You know, I even remember some of the first times I saw you, our first rebu, first time in Baro, the insane nights in Chemistry. The first party of medicine in the pool, afternoons and nights there! The day when we were shown to ESN. The noises at dawn. First time in Lisbon, Holy Festival. First burned rice. Of the several times that some of you woke up with my room falling while I did not even notice. Of our: "Can I borrow?", "Will you sell it to me?", "change wine for chocolate!", "who have credit to wash clothes?", "Does someone go to Continente?", "Who's on polo I and will go up?". From our first dinner at cellphone light. Dancing kizomba and kuduro, waking up with "Bailando" and sleeping with "Jajão". The always unexpected canteen dishes.
But today , xelentes , just know that we are all this, and while we can't go back, we live through memories. Because being Erasmus is this, being a little of each other, the places which we were, and where we lived.

And this is not goodbye, it's an even longer Covilhã.
Luísa Torquato"

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Hi, I'm Mehmet Ulug

[EN] Hello again!

This time were going to show you some photos sent to us by another student that studied last year in UBI.
Mehmet Ulug is a student from Turkey, that came to our university to study Economics. He sent us some pictures he took while he was staying in Covilhã. The photos illustrate, not only good moments he spent in the Residence Pedro Álvares Cabral, also known by PAC, with other international students, but also moments in class, presenting papers and even with one of his teachers.

Mehmet, thank you for sharing!!

[PT] Olá outra vez!

Desta vez nós queremos partilhar algumas fotos que nos foram enviadas por um outro aluno que esteve o ano passado a estudar na UBI.
Mehmet Ulug é um estudante da Turquia, que veio para a nossa universidade para estudar Economia. Ele enviou-nos algumas fotografias enquanto viveu na Covilhã. As fotos ilustram, não somente bons momentos que ele passou na Residência Pedro Álvares Cabral, mais conhecida por PAC, com outros estudantes internacionais, mas também momentos de trabalho, e até com um dos seus professores.

Mehmet, obrigado por partilhares!!












quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

[EN]"Memories from My Erasmus"

Michal Romanec is a student from Bratislava, that in the academic year of 2013/14 came to University of Beira Interior (UBI) to study architecture. He left us a video that illustrate is experience, since the day he left is hometown to come to a new country, a new adventure, to start an incredible and different period of his life.

Through his videos you can see the beginning, the middle and end of a journey, an awesome one, not only in Covilhã, but also in another Portuguese cities.

[PT] "Memórias do meu Erasmus"

Michal Romanec é um estudante de Bratislava, que no ano letivo 2013/14 veio para a Universidade da Beira Interior (UBI) para estudar arquitetura. Ele deixou-nos um video que ilustra a sua experiência, desde o dia que ele deixou a sua cidade para viajar para um novo país, uma nova aventura, para começar um incrível e diferente período da sua vida.

Através dos seus vídeos podem ver o início, o meio e fim de uma fabulosa jornada, não apenas na Covilhã, mas também noutras cidades Portuguesas.